Jump to content
Fórum Script Brasil

Ricardo Martins

Membros
  • Content Count

    35
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

0 Neutro

About Ricardo Martins

  1. Atualmente estou trabalhando em um projeto no meu emprego que exige que eu mexa muito no prompt de comando do Windows. Existem certos momentos em que eu tenho que repetir uma sequência fixa de 6 comandos para fazer uma determinada operação. Foi aí que eu descobri que eu poderia usar um truque toda vez que eu precisasse digitar esses 6 comandos. Em vez de digitar os comandos manualmente, eu os digitava em um arquivo de texto no formato txt, salvava ele, mudava ele para a extensão bat e chamava ele no prompt de comando. Dessa forma, todos os comandos escritos no arquivo bat são executados no pro
  2. Não sei se você já deve ter tentado isso, mas eis uma das coisas que eu tentaria: Aperte "Windows + R" para entrar no "Executar". Digite "msconfig" e dê enter. Na janela que aparece, entre na aba "Inicialização de programas". Nessa aba está toda a relação de programas que inicializam automaticamente junto com o Windows depois do boot. Dê uma olhada se o executável que está te incomodando está na lista e marcado para iniciar junto com o Windows. Caso esteja, é só desselecioná-lo e aplicar as alterações. Esta dica é recomendável também para usuários que querem diminuir o tempo que o sistema o
  3. Sou estudante da área de Análise e Desenvolvimento de Sistemas e isso seria um bom conhecimento a se adquirir. Sou um usuário do Windows de longa data e no momento estou num emprego em que é necessário mexer com servidores Linux, mais especificamente Debian. No entanto, estou apanhando bastante desse prompt no qual a gente tem que digitar linhas de comando. Sabe como é, né? Estou acostumado a fazer as coisas usando interfaces gráficas. Gostaria de aprender desde o nível mais básico, como criar e excluir pastas, editar arquivos de texto, etc., até o nível mais avançado. Os livros podem estar
  4. Vamos supor a seguinte situação: Eu tenho uma empresa que desenvolve programas de computador para outras empresas. Em outras palavras, eu tenho uma fábrica de softwares. De tempos em tempos, minha equipe de desenvolvimento encontra algumas coisas que podem ser melhoradas nos softwares que foram vendidos aos nossos clientes. Ex.: Encontra bugs que podem ser corrigidos, funcionalidades que podem ser otimizadas, etc. Depois de trabalharmos numa correção/melhoria dos softwares, queremos atualizar esse software nas empresas dos nossos clientes. Os computadores dos clientes estão constantemente con
  5. Sabe os serviços do Windows? Aqueles listados numa janela que a gente entra depois de apertar CTRL + R e digitar "services.msc"? Então, tem alguns serviços lá que quando eu mudo o tipo de inicialização de desativado para automático, por exemplo, e depois clico em OK, recebo uma mensagem de erro irritante que diz: "o sistema não pode encontrar o caminho especificado". Eis a lista de serviços específicos que não estou conseguindo fazer funcionar por causa desse problema: Acesso a Dispositivo de Interface Humana Agente de Diretiva IPsec Auxiliar NetBIOS TCP/IP Brilho Adaptável Experiência com A
  6. Estou pensando em desativar o agendador de tarefas do Windows pra otimizar o funcionamento do sistema, porém estou em dúvida se eu devo mesmo fazer isso. Se o agendador de tarefas agendasse somente coisas como desfragmentação e criação de ponto de restauração eu desativaria numa boa, pois uso softwares de terceiros pra esse tipo de coisa. Mas eu não sei que outro de tipo de coisas ele agenda. Até dei uma olhada no que estava agendado, mas não entendi muita coisa. Que tipos de tarefas o agendador de tarefas do Windows 7 agenda por padrão? Se eu desativá-lo, posso acabar prejudicando o sistema
  7. Eu estou fazendo um TCC que envolve o desenvolvimento de uma suíte de jogos de lógica. Nessa suíte eu coloquei o Sudoku, Kakuro, Killer Sudoku e Sokoban. Talvez eu coloque mais outros, caso seja possível. No entanto, o meu projeto carece de parte teórica. O que eu quero mesmo é encontrar algo que fale sobre um possível relacionamento entre jogar jogos de lógica e ter um raciocínio mais apurado pra resolver as situações-problema do dia a dia. Na minha opinião, como os jogos de lógica exigem um raciocínio extremamente intenso, acredito que exercitar-se nesses jogos pode fazer a pessoa ficar "ma
  8. Tenta fazer assim: #include <stdio.h> #include <conio.h> int main() { if (unlink("c:\\test.txt") == 0) printf("Arquivo apagado com sucesso!"); else printf("Falha em apagar arquivo!"); getch(); return 0; } unlink é uma função feita pra apagar arquivos, apesar do nome pouco intuitivo. Mas atenção! Quando você for indicar o caminho do arquivo com uma string, toda vez que você colocar o caracter 'barra invertida' (\), você deve colocar ele duas vezes seguidas, senão o compilador vai entender que a combinação do barra com o caractere logo depois
  9. Quando queremos armazenar vários valores de um mesmo tipo em sequência podemos usar vetores ou ponteiros. Em essência, os dois são a mesma coisa, pois vetores também são ponteiros. Porém, vetores são ponteiros CONSTANTES e como tal possui algumas limitações, como, por exemplo, não deixar de apontar pra área que apontam pra apontar pra outras áreas. Sendo assim, às vezes eu opto por usar ponteiros em vez de vetores, pois há momentos em que eu preciso fazer os ponteiros apontar pra outras áreas. Pra que eu possa ter essa flexibilidade no meu código, eu substituo vetores por ponteiros da seguint
  10. É isso mesmo que você falou! Não tinha parado pra pensar nesse objeto que é criado numa região qualquer da memória e que ele também é destruído. Valeu pela explicação.
  11. Vamos supor que eu tenha o seguinte código: #include <stdio.h> #include <conio.h> int main () { struct TEST { int num; ~TEST () { printf ("Você está dentro do destrutor!\n"); getch (); } }; TEST exemplo= {0}; exemplo.num= 0; exemplo= (TEST) {0}; return 0; } O código é bem simples. Primeiro eu crio uma estrutura com o nome TEST que contém: - Um variável para um número inteiro - Um destrutor que só imprimi uma mensagem na tela Depois eu demonstro as três formas possíveis de atribuição pra variável dentro da estrutura: - Na inicializaç
  12. Esses dias atrás eu descobri uma coisa bem interessante sobre estruturas. Vamos supor que eu crie uma estrutura e, mais adiante, declare uma variável dessa estrutura: struct EXEMPLO { int a; float b; char *c; }; ... EXEMPLO ex; O que eu aprendi foi que é possível fazer uma atribuição para todos os elementos da estrutura duma vez só. Pode ser usando constantes: ex= (EXEMPLO) {25, 3.14, "Exemplo"}; Ou até mesmo variáveis: int inteiro= 25; float real= 3.14; char *string= "Exemplo"; ex= (EXEMPLO) {inteiro, real, string}; Como eu achava que só dava pra fazer isso na inicialização,
  13. Vamos supor que eu defina a seguinte estrutura: struct AGENDA { char *nome; char *email; }; E depois, em alguma parte do código, eu crio dinamicamente um elemento dessa estrutura: AGENDA *contato; contato= (AGENDA *) malloc (sizeof (AGENDA)); E então eu aloco dinamicamente os espaços necessários pra armazenar as strings nos ponteiros nome e e-mail: contato->nome= (char *) malloc (50*sizeof (char)); contato->email= (char *) malloc (50*sizeof (char)); Vamos supor agora que eu já usei essa estrutura e não preciso mais dela. Sendo assim, eu quero desalocar a estrutura, mas quero
×
×
  • Create New...